As Doze Regras

→ Por demanda popular, venho de colocar os desenhos do «relógio» das Doze Regras à venda na nossa loja da RedBubble. Há desde impressões econômicas em papel, até teia, madeira ou mesmo relógios literais. Repara em que há versões com o texto em galego/português/brasileiro, inglês e o original germânico. Lembra também que tens um PDF para descarregar grátis na base desta página.

Andre Paurñfeyndt foi um mestre da Arte do Combate do S.XVI (possivelmente filiado aos Freifechter), pertencente ao ramo serôdio da tradição de Liechtenauer, precursor de Joachim Meÿer (quem bebeu muito dele).

O seu tratado principal é divergente do estilo comum/anterior na KdF. Essa obra contém uma lista de doze regras focadas às pessoas iniciantes. Não é material a descobrir nada novo, mas é um conjunto útil de regras que podemos ter presentes ao treinar –talvez de particular interesse na hora de ministrar aulas.

Segue o texto original e uma tradução livre e rimada que eu fiz dele. Alguma das regras é bastante críptica, na linha das Zettel, e requer explicação (Glossa!), que desenvolvo por baixo.

ZWÖLFF LEREN DEN ANGEHNDEN FECHTEREN
(Geschrieben von Andre Paurñfeyndt.
Transkribiert von Alex Kiermayer.)

Zwölff Regeln laß dich nit verdriessen
Aus den mag dir große kunst entspriessen

DIE ERST
Welcher fuß vorn steht / sei bogen /
Der hinder gstrackt / ziert den leib oben.

DIE ANDER
Hoch gfochten / mit gstracktem leib /
Gwaltig Bossen auß der lenge treib.

DIE DRIT
Streych und tritt mit einander
Und setz dein füß wider einander.

DIE VIRT
Wer trit nach hewen
Der darff ſich kunſt nit frewen.

DIE FUNFT
Merck was die flech ist /
Ficht nit linck / so du recht bist.

DIE SECHST
Such schwech und sterck /
In des das wort eben merck.

DIE SIEBENDT
Prüff weych odder hert /
Nachreysen sei dein gfert.

DIE ACHT
Streych vor und nach /
Einlauffen sei dir nit gach..

DIE NEUNDT
Ficht nahend beim leib /
Die zeckrur nit vermeid.

DIE X
Tritt nahend in Bundt /
Anderst du würdest verwundt.

DIE XI
Vor der hadt / heyßt die lang Schneid /
Selten ein versatzung auff der kurtzen leid.

DIE XII
Erschrickstu gern /
Keyn Fechten lern.

AS DOZE REGRAS PARA QUEM SE INICIA NA ARTE DO COMBATE
(Pelo Freifechter Andre Paurñfeyndt,
em livre tradução por Diniz Cabreira.)

Não sejam as doze regras obstáculo:
elas são na Arte guia e báculo.

A PRIMEIRA
A perna avante fica dobrada,
sustém o corpo na outra esticada.

MAIS UMA
Luta alto, o corpo erguido:
a força nasce do passo comprido.

A TERCEIRA
Passos e compassos com ambos os pés
juntos e longe, mais uma vez.

A QUARTA
Quem os talhos contrários aguarda
na Arte nenhum prazer acha.

A QUINTA
Lembra bem como a luta é feita:
não há esquerda se vás de direita.

A SEXTA
Forte e fraco procura sempre.
Tem o Indes agora presente.

A SÉTIMA
Testa se o Binden é duro ou brando,
Nachreißen é aqui o teu aliado.

A OITAVA
Avanza e recua com pernas certas:
não seja Einlauffen nunca surpresa.

A NONA
Ataca fundo, perto do corpo;
tem os Zeckruhr sempre prontos.

A DÉCIMA
Fecha distância se o Binden afirmas:
assim não recebes de certo ferida.

A DÉCIMA PRIMEIRA
O fio verdadeiro é por diante da mão,
e pouca defesa há contra o irmão.

A DÉCIMA SEGUNDA
Não aprenderás, se te abate o medo,
da Arte do Combate nenhum segredo.

Análise

Regra 1: indicações de postura. Vale dizer que a postura é pouco descrita nos tratados antigos, mas as primeiras ilustrações presentam uma estrutura mais erguida, com o peso entre as pernas, que ficariam esticadas. No S.XVI vamos ver o peso deslocado (como norma) à perna avançada, que fica flexionada, e a traseira esticada.

Regra 2: o torso direito. Utilizar os passos para formar estrutura e potencia nos talhos.

Regra 3: mais instruções acerca de deslocamentos. Ênfase em jogar com os dous pés, em utilizar tanto movimentos breves coma largos, sempre controlados.

Regra 4: tomada das Zettel, acerca de ganhar o Vor e tomar a iniciativa.

Regra 5: tomada das Zettel, acerca de dar cutelada e passo desde o mesmo lado [no Zufechten, do meu ponto de vista].

Regra 6: bastante evidente. Mui canónica.

Regra 7: Idem.

Regra 8: controlo de distância, estabilidade. Evitar que nos surpreendam dominando a nossa distância, com Ringen.

Regra 9: ênfase nos ataques dedicados, com vontade de ferir, apontando a partes vitais ou lesivas (torso, cabeça, pescoço, ventre, virilha, etc)… mas sem esquecer os ataques «ligeiros», toques leves repetidos. Zeckruhr pode-se traduzir como «picadas de mosquito».

Regra 10: ligar a espada contrária na distância certa. Não serve ligar longe — isso é objecto de Durchwechseln e estocadas, etc. O Binden deve ser firme e manter pressão que ameace o corpo da outra pessoa, para forçar uma defesa também firme e assim poder trabalhar desde ele.

Regra 11: define os dous fios, e fala do uso do fio falso. O uso de ambos os fios é mui característico do KdF, e muitas vezes atacar com o fio falso em vez de fazer um ataque mais simples com o verdadeiro é o que dá a estrutura base para técnicas como alguns dos Fünf Hauen (Zwerch, Schiel, certas versões do Scheittel, certas do Krumphau), boa parte do Winden (Mutieren, Duplieren), etc.

Regra 12: Pudera parecer apenas uma rubrica, mas o certo é que transmite um elemento central da mentalidade e aproximação táctica do KdF ao combate: assertividade, auto-confiança, estabelecer o domínio sobre a situação, etc.

Preme no link seguinte para descarregar um PDF com as regras em inglês, alemão e galego-português, e as respectivas representações «em relógio».

 

nek-gris-100x100

 

Vídeo

Regra 1 do Zufechten

Este exercício, que chamo de «Regra»,1 é similar às katas das artes marciais orientais: uma sequência de movimentos pensada para trabalhar a memória muscular e a forma técnica.

A «Regra 1 do Zufechten» inclui os movimentos mais básicos no jogo da espada. Atende especificamente ao Zufechten, deixando para posteriores formas a técnica própria do Krieg.

É uma sequência reversível (quer dizer: uma vez completada desde o Vom Tag direito, ao virar no sítio é possível fazer o caminho de volta desde o Vom Tag esquerdo).

As escolhas táticas nela apresentadas não são necessariamente ótimas. Trata-se de movimentos básicos pensados para quem está a se iniciar no jogo da espada longa, não de técnica canónica própria do KdF. Tampouco se trata duma «frase de armas».2 É possível conceptualizar partes da Regra dessa maneira, mas outras resultam muito forçadas. Trata-se, então, apenas duma cadeia de movimentos que já devem resultar conhecidos pelo seu uso nas aulas regulares e que tem como objetivo trabalhar a forma e a memória muscular.

Devo assinalar que esta regra é invenção moderna, para ser utilizada nas aulas da Arte do Combate (ou livremente por quem quiser) como recurso pedagógico e de treino em solitário. Não foi tomada de tratado histórico nenhum, toda vez que não existem estas regras ou katas na tradição documental da Kunst des Fechtens.3

Ainda bem, as regras detalhadas historicamente para outras armas, épocas e tradições esgrimísticas costumavam ser mais simples, com menos movimentos, e o currículo conformava-se de muitas destas (ver as 32 Regras detalhadas por Figueiredo no Memorial da Prattica do Montante, por exemplo), polo que o meu uso do termo não é estritamente coerente como o uso histórico. Mas o currículo que utilizo na Arte do Combate está focado na Zettel de Johannes Liechtenauer e tem uma aproximação pedagógica mais sistemática, polo que Regras como esta servem, para os meus propósitos, como uma ferramenta de apoio ou resumo do trabalho feito em aulas anteriores.

Como nota final a esta digressão sobre a história das Regras: um dos documentos mais antigos da tradição esgrimística ibérica é o Las nueve reglas de la espada de dos manos, do primeiro terço do S.XVI. É um documento muito interessante e mostra que existia uma tradição de luta específica com o seu próprio sistema pedagógico e estilístico. Porém, sendo o único documento do sistema resulta muito difícil de decifrar. Em primeira aproximação, não parece compatível com a Kunst des Fechtens, mas será necessário um estudo maior dele no futuro.

Descrição da regra

Recomendo ver o vídeo já ligado acima após ler estas indicações. A gravação é algo velha e imperfeita, e hoje tenho feitas algumas pequenas mudanças. Devo gravar nalgum momento uma versão mais atual, mas essa dá para ver a ideia geral.

Opcionalmente, no início:

  • Desembainhar
  • Saúdo

Desde Vom Tag no lado dominante (assumirei uma pessoa dextra no texto):

  1. Oberhau direito [longo] + passo recto
  2. Zucken4 com Zornhau5 esquerdo + passo transversal
  3. Unterstich6 direito, de punho7 + compasso recto
  4. Durchwechseln e Unterstich desde Pflug esquerdo + passo recto
  5. Oberhau [defensivo] na direita + passo estranho
  6. Oberhau [defensivo] na esquerda + passo estranho
  7. Unterhau esquerdo a Ochs direito + passo de roda
  8. Unterhau direito a Ochs esquerdo + passo de roda
  9. Oberhstich8 esquerdo, de punho + compasso recto
  10. Durchwechseln e Oberhstich desde Ochs direito + passo recto
regra1-zufechten
Representação dos movimentos de pés. Também tentei indicar a posição da espada, mas a perspetiva limita muito neste aspeto. A linha horizontal representa onde está o centro de gravidade. A linha perpendicular a ela é a linha de ataque que nos une com a pessoa oponente.

Observações

Desde o Ochs direito final é possível girar no sítio (180º) e ficar assim em Vom Tag esquerdo, desde o que podemos fazer a Regra com lateralidade invertida.

É possível dividir a regra em duas partes bem definidas para facilitar a aprendizagem: o jogo baixo compreende os movimentos 1 – 4 e o jogo alto os 7 – 10, ligados ambos pela sequência dos dous Oberhauen defensivos. O jogo alto é mais complexo a nível biomecânico.

A aprendizagem (e o seu uso em exibições públicas) beneficia-se de fazer movimentos amplos. A medida que a Regra vai sendo interiorizada, estes devem virar mais fechados e compactos, seguindo as premissas do caminho mais curto.

Uma vez dominada a Regra, é possível trabalhar sobre ela de forma livre, introduzindo variações contra as reacções de um oponente imaginário: mudar o Zucken por Abnehmen ou por Durchwechseln ou por Abschneiden; ou fazer o próprio nos Unterhauen. O jogo de pés deve ser adaptado em consequência, e é possível que certas mudanças requeiram outros movimentos a seguir.

A Regra é adaptável para outras armas — por exemplo o Messer, lança ou mesmo mão vazia. É um bom exercício para quem já a domina na espada longa.

A Regra a mão vazia é uma boa forma de dedicar uns minutos todos os dias à prática da Kunst des Fechtens. Pode ser praticada na casa, no corredor, na sala — até no lugar de trabalho, no descanso. Não requer demasiado espaço e nenhum material específico.

nek-gris-100x100